top of page

Integrantes da ASSOPE visitam habitat de Orquídeas

Atualizado: 23 de set. de 2020

Por Gilvan Serafim Filho¹.


A iniciativa faz parte do Projeto "Orquídeas de Pernambuco" que teve início no segundo semestre de 2019. Em campo, os orquidófilos inventariaram espécies em dois afloramentos rochosos no agreste do Estado.


Comunidade composta pelas espécies Sobralia liliastrum e Cyrtopodium flavum, em meio a bromélias, cactos e suculentas - Foto: Gilvan Serafim Filho/ASSOPE.


O projeto visa contribuir com o estudo da Família Orchidaceae e sua distribuição desde os fragmentos de Mata Atlântica, até os brejos de altitude.

Espécies inventariadas


Nos dois afloramentos rochosos (A: 8º27'15.0"S 35º46'19.2"W e B: 8º27'21.8"S 35º46'51.6"W), foram registradas cinco espécies de Orchidaceae, sendo elas: Brassavola tuberculata, Cyrtopodium flavum, Epidendrum flammeus e variedades, Acianthera ochreata e Sobralia liliastrum (Nomes científicos confirmados na base de dados do Herbário Virtual REFLORA e The Plant List).


No afloramento rochoso A, as espécies que ocorrem são: Brassavola tuberculata, Cyrtopodium flavum, variedades de Epidendrum flammeus e Sobralia liliastrum; já em B, ocorrem: Cyrtopodim flavum, variedades de Epidendrum flammeus, Acianthera ochreata e Sobralia liliastrum.


Vista panorâmica do afloramento rochoso A, sendo possível observar populações de Sobralia liliastrum e Cyrtopodim flavum - Foto: Gilvan Serafim Filho/ASSOPE.

 

Vista panorâmica do afloramento rochoso B, sendo possível observar populações de Sobralia liliastrum em meio a bromélias e alguns Epidendrum flammeus - Foto: Gilvan Serafim Filho/ASSOPE.

 

Em ambos ecossistemas, a dominância (maior e menor riqueza), foram observadas entre as espécies Sobralia liliastrum, Cyrtopodium flavum, Epidendrum flammeus, Acianthera ochreata e Brassavola tuberculata, respectivamente.


Flor de Sobralia liliastrum - Foto: Gilvan Serafim Filho/ASSOPE.

 

Inflorescência de Cyrtopodium flavum - Foto: Gilvan Serafim Filho/ASSOPE.

 

Para a espécie Epidendrum flammeus, variedades cromáticas foram observadas nos dois afloramentos rochosos, no entanto, os indivíduos possuem maior frequência relativa quanto aos tons laranja claro com amarelo, laranja escuro com amarelo, menos frequente o tom vermelho com amarelo, e menor frequência relativa o tom amarelo.

Epidendrum flammeus e variedades cromáticas - Fotos: Gilvan Serafim Filho/ASSOPE.

 

Variedades de Epidendrum flammeus - Foto: Manuel Ximenes Júnior/ASSOPE.

 

A espécie Acianthera ochreata não estava florida, mas de acordo com os orquidófilos presentes na visita ao habitat (integrantes da ASSOPE), ainda, levantamentos que foram feitos com base no Reflora (Flora do Brasil), e The Plant List (A working list off al plant species), trata-se de fato da espécie mencionada.


Afloramento rochoso B - Acianthera ochreta - Foto: Gilvan Serafim Filho/ASSOPE.

 

Conforme as observações feitas no habitat, Brassavola tuberculata, foi a espécie com menor frequência relativa, ocorrendo na parede do afloramento rochoso A, vegetando próximo das bromélias.


Brassavola tuberculata - Foto: Gilvan Serafim Filho/ASSOPE.

 

A visita ao habitat ocorreu em área particular na cidade de São Joaquim do Monte no agreste de Pernambuco e contou com os orquidófilos e/ou orquidólogos: Alexandre Rosal, Érika Santos, Gilvan Serafim Filho, Jairo Ribeiro, Karime Silva, Lucia Recena, Manuel Ximenes Júnior, Otávio Andrade e Pérola Lyra.


¹Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Católica de Pernambuco/UNICAP; possui curso de mestrado em ecologia pela Universidade Federal Rural de Pernambuco/UFRPE e curso de especialização em Perícia e Auditoria Ambiental pela Faculdade Frassinetti do Recife/FAFIRE.

209 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page